Empreendedorismo feminino: principais desafios e como superá-los

Empreendedorismo feminino: desafios

Publicado em 18 de julho de 2021

Conheça os principais desafios que as mulheres enfrentam ao empreender e veja dicas de como contorná-los

Começar uma empresa costuma ser desafiador. No começo, é preciso cuidar de atividades diversas, que vão desde o planejamento até o atendimento, e estar disponível praticamente em tempo integral. E quando falamos de mulheres empreendedoras, há ainda outros desafios, como dar conta de uma jornada múltipla, acessar crédito e sofrer com a falta de incentivo.

Apesar das dificuldades, porém, muitas mulheres conseguem ter negócios bem-sucedidos no mercado. Por isso, neste artigo, vamos falar das adversidades que as empreendedoras enfrentam, mas também trazer dicas de como superá-las para ter uma empresa de sucesso. Confira!

3 desafios que as mulheres enfrentam ao empreender

Jornada múltipla

Apesar de não haver diferença na participação de homens e mulheres quando se trata de empreendedorismo em fase inicial, os homens são mais representativos entre as empresas estabelecidas, que estão há mais de 3 anos e meio no mercado.

O dado é da edição de 2019 da Global Entrepreneurship Monitor, mais conhecida como GEM, uma pesquisa de abrangência mundial que avalia a atividade empreendedora em diversos países e que, no Brasil, é realizada com apoio do Sebrae. 

A jornada múltipla enfrentada pelas mulheres ajuda a explicar esse abandono das empresas nos primeiros anos. Conforme a PNAD Contínua 2018, as brasileiras que trabalham dedicam ainda 18,5 horas semanais a afazeres domésticos ou ao cuidado de pessoas. Entre os homens, são 10,3 horas por semana.

Em boa parte dos casos, a mulher empreendedora precisa se desdobrar em diversos papéis, conciliando empresa, cuidados com a casa e estudos, por exemplo. Essa jornada múltipla acarreta em uma sobrecarga que pode fazer com que abandonem precocemente seus empreendimentos. 

A solução para essa dificuldade é contar com uma rede de apoio de pessoas que possam ajudar a mulher a dar conta de todas essas tarefas, seja em casa, seja na empresa. Os homens também precisam se engajar nesse debate, compartilhando responsabilidades.

Falta de incentivo

A falta de incentivo é outra dificuldade enfrentada pelas mulheres, seja das próprias pessoas com quem convive, seja da sociedade em geral. 

Isso se dá em parte pelo sexismo, também chamado de discriminação de gênero. Infelizmente ainda existe a ideia de que os homens são mais competentes em assuntos relacionados à negócios, o que é fruto de preconceitos construídos e perpetuados ao longo da história. 

Por conta disso, o ecossistema do empreendedorismo pode ser, muitas vezes, pouco representativo, resultando em um ambiente que não é convidativo para que as mulheres exponham e desenvolvam seus projetos. Isso é especialmente válido em setores predominantemente masculinos, como a tecnologia.

Ao longo da vida, a mulher pode ser menos incentivada a abrir uma empresa, internalizando essa ideia de que não é capaz. Falta de autoconfiança e medo de fracassar podem impedir que empreenda, mesmo quando é mais qualificada — o relatório especial Empreendedorismo Feminino no Brasil, lançado pelo Sebrae em março de 2019, por exemplo, mostra que as mulheres donas de negócios têm escolaridade 16% maior do que os homens.

Porém, aos poucos, esse cenário está mudando. Hoje há investidores, por exemplo, que apostam em empresas criadas por mulheres, entendendo que, quando uma empreendedora abre um negócio, ela se preocupa também com o entorno, e os benefícios são colhidos não só por ela, como pela sociedade em geral. Estimular esse tipo de iniciativa é essencial para mudar esse cenário de falta de incentivo ao empreendedorismo feminino.

Acesso ao crédito

O acesso ao crédito é mais um desafio que as mulheres enfrentam ao empreender. Mesmo com um nível de inadimplência menor que os homens (3,7% contra 4,2%), elas pagam taxas de juro maiores, de acordo com o relatório especial do Sebrae. A taxa anual de juros paga pelas empreendedoras é 3,5% maior que a que é paga pelos empreendedores.

Um dos fatores que influenciam nisso é a postura dos gerentes de banco diante de empresas comandadas por mulheres, mais um fruto da discriminação de gênero que já mencionamos. Eles podem pensar que a mulher não é capaz de conduzir um negócio com sucesso. Além disso, há a insegurança das mulheres ao negociar, principalmente uma quantia em dinheiro, algo que não costumam ser estimuladas a fazer ao longo da vida.

Desenvolver técnicas de negociação e posicionar-se de maneira segura pode auxiliar nisso. Com essas habilidades bem desenvolvidas, a mulher se sente mais à vontade para negociar, mesmo frente a alguém que questiona sua capacidade.

Como as mulheres podem superar os desafios que enfrentam ao empreender?

Mesmo com as dificuldades, as mulheres ganham cada vez mais espaço no empreendedorismo. Segundo o relatório do Sebrae, o Brasil já é o sétimo país com maior proporção de mulheres entre os empreendedores iniciais. 

Abaixo, trazemos algumas dicas que podem ajudar as empreendedoras a fazerem suas empresas alcançarem o sucesso:

Conheça bem o mercado: antes de se lançar em um novo mercado, é preciso saber quais são suas características, quem é o seu público-alvo. Tenha tudo isso bem definido antes de colocar a empresa para rodar.

Tenha uma rede de apoio: atualmente, fala-se muito em rede de apoio, e não é por acaso. Contar com a ajuda de familiares, amigos e outras mulheres que se encontram na mesma situação é essencial para a empreendedora. Não hesite em pedir ajuda!

Aprenda constantemente: conhecimento nunca é demais. Por isso, vale investir em desenvolvimento contínuo, fazendo cursos para se atualizar. Dedique-se a habilidades que as mulheres normalmente não são estimuladas a desenvolver, como negociação e finanças, que podem ajudar na condução da empresa.

Faça networking: conheça e mantenha contato com outras pessoas, pois isso pode abrir portas e fazer com que oportunidades apareçam. Ter contato com outras mulheres empreendedoras, especialmente, pode ajudar a trocar ideias e dicas com quem está no mesmo barco que você.

Organize-se: para dar conta de todas as tarefas da empresa, a organização no dia a dia também é fundamental. É isso que vai garantir que você tenha tempo de descanso e lazer, o que é essencial não só para manter a saúde do corpo e da mente como para que o trabalho seja bem executado.

Conte com ajuda especializada: não tente ser uma super-heroína. Você não precisa fazer tudo sozinha. Muitas vezes, é mais fácil contratar serviços para terceirizar tarefas específicas, o que facilita a rotina e permite ganhar escala. E o melhor é que já existem soluções voltadas para as necessidades das mulheres. É o caso da HerMoney, uma plataforma inteligente de gestão financeira para pequenas empresas que auxilia gerando seu fluxo de caixa e fazendo análises financeiras para facilitar sua tomada de decisão. Simplificamos a vida das empreendedoras para que elas possam se dedicar ao cuidado com as vendas e clientes. Assista ao vídeo abaixo e saiba mais sobre como funciona!

E você, já passou por alguns desses desafios na sua vida de empreendedora? Tem outras dicas para superá-los? Compartilhe-os com a gente nos comentários!

Sigam nas redes
Endereço

Rua Av Oliveira Paiva 1600
Fortaleza - Ceará

Telefone

Geral: (85) 9 891-11792

Contato

[email protected]

HerMoney Consultoria Ltda.
CNPJ: 39.526.187/0001-05